Grupo escolar de Limeira lança livro com histórias de mulheres cientistas

Grupo de Iniciação Científica do Colégio Portal de Limeira criou a obra em formato de quadrinho que conta a história de 10 cientistas mulheres.

Livro conta história de 10 grandes mulheres cientistas Vinicius Boer Incentivar meninas e crianças, por meio da leitura, a serem o que quiserem.

Esse é o objetivo do livro “Liga das Mulheres Cientistas” criado por estudantes do Colégio Portal de Limeira (SP), com histórias de 10 cientistas mulheres, em formato de quadrinhos. Sob supervisão do professor de física Yuri Alexandre Meyer, Anna de Oliveira Claro Silva, de 16 anos, Lara Nonatto, 17 anos, Larissa Tomasin Piccin, 15 anos, Livia Giovanoni de Godoy, 17 anos, Lorena Bertini Brito, 18 anos, Maria Carolina Cardoso Grochoski, 17 anos, Maria Eduarda Costa da Silva, de 17 anos, Rafaela Fernanda Buoro, 18 anos e Yasmin Eveline Silva, de 14 anos, são as criadoras do projeto. Da esquerda para a direita, as alunas Maria Eduarda Costa da Silva, Lara Nonatto, Rafaela Fernanda Buero, Lorena Bertini Brito, Larissa Tomasin Piccin e Maria Carolina Cardoso Grochoski, do Colégio Portal de Limeira Divulgação/Iniciação Científica para Meninas - Anglo de Limeira “São 10 histórias de cientistas que passaram dificuldades por serem mulheres, mas no final conseguiram alcançar seus objetivos e fizeram contribuições para nossa sociedade”, explicou Maria Carolina, uma das criadoras. O projeto surgiu a partir do grupo escolar Iniciação Cientifica Junior, voltado para meninas do Colégio Portal de Limeira.

O professor Meyer, coordenador do grupo, explica que o objetivo é aproximar os alunos do ensino básico com as universidades para que entendam a importância da pesquisa científica. Professor Yuri Alexandre Meyer, do Colégio Portal de Limeira Vinicius Boer “Quero mostrar para as meninas a importância das mulheres na ciência usando histórias de cientistas que tiveram grandes contribuições, mas sofreram por serem mulheres, assim alerta-las que a falta de respeito com as mulheres também acontecem nas universidades”. Segundo o professor, a princípio seria um projeto simples em que as alunas realizariam os quadrinhos do próprio celular, mas a ideia foi crescendo até que convidaram a aluna Giullia Benfatti, de 17 anos, junto de seu professor de desenho Maicon Medeiros, para ilustrarem o projeto.

Também conseguiram uma editora para dar conclusão ao livro. Ada Lovelac, Donna Steickland, Jane Goodall, Katherine Johson, Lise Meiter, Maria Goeppert-Mayer, Marie Sklodowsa Curie, Maryam Mirzakhani, Mileva Maric Einstein e Simone Beauvoir foram as personagens escolhidas para a primeira edição. “Foi bem difícil escolher as personagens porque quando você pesquisa, é possível encontra muitas historias de mulheres na ciência com suas pesquisas fenomenais, que acabamos não as conhecendo por conta desse machismo, dessa falta de reconhecimento” alertou Maria Carolina. Maria Carolina Cardoso Grochoski durante a gravação de vídeo para o Instagram do grupo de Iniciação Científica Arquivo pessoal O grupo pretende, além de fazer uma segunda edição com outras personagens cientistas, é de distribuir a primeira edição gratuitamente às escolas públicas, mas ainda aguardam a avaliação do secretário da educação de Limeira, André Luis De Francesco, para uma ajuda financeira que proporcionará a impressão dos livros.

“Caso não tenhamos essa ajuda, a partir da venda dos livros, vamos usar o dinheiro para a impressão e entraremos em contato com a direção das escolas publicas da cidade”, contou Meyer. Lara, também participante do grupo, fala que é importante uma mulher na ciência por conta da representatividade e pelo fato de só elas saberem o que é ser mulher no lugar que ocupam. Lara Nonatto durante a gravação de vídeo para o Instagram do grupo de Iniciação Científica Arquivo Pessoal “Desde pequena as meninas são influenciadas a brincar de boneca, casinha e fomos ensinadas que, quando a gente crescer, temos cuidar da casa e dos filhos.

Então escolhemos mulheres cientistas para mostrar que mesmo com empecilhos, podemos ser o que quiser”, declarou a estudante. Meyer explica que um dos objetivos do projeto só para meninas é de mostrar para a sociedade que o homem tem que reconhecer a importância do debate das mulheres na ciência e do fortalecimento feminino. “Nós homens devemos ajudar a abrir o espaço para que as mulheres ocupem seu lugar de fala.

Temos que reconhecer que historicamente as mulheres sofreram muito com isso e devemos encontrar maneiras de fazer com que elas tenham as mesmas oportunidades que nós”, declarou o físico. “Se uma mulher quiser ficar em casa e cuidar dos filhos, esse é o ‘empoderamento’ dela.

Mulheres ‘empoderadas’ não são só aquelas que têm altos cargos, são aquelas que são o que quiser independente do que a sociedade as impões.

E esse é o principal objetivo do nosso livro”, concluiu Lara. O livro esta sendo vendido a R$ 25,00 pelo site Mercado Livre e também pode ser adquirido entrando em contato com as meninas por meio do direct da página do Intagram do grupo, o Iniciação Científica.

*Sob supervisão de Rodrigo Pereira, do G1 Piracicaba Veja mais notícias da região em G1 Piracicaba
Categoria:SP - Piracicaba e região