Após 2 dias, buscas por aeronave que teria caído no interior do AC são encerradas

Buscas encerraram neste sábado (22), no Ramal Espinhara, no interior do Acre.

Equipes chegaram a encontrar uma clareira com árvores caídas no meio da mata Divulgação/Gefron O Corpo de Bombeiros do Acre encerrou, neste sábado (22), as buscas pela aeronave que teria caído na região do Ramal do Espinhara, a 52 quilômetros sentido Rio Branco/Sena Madureira, interior do Acre. O acidente teria ocorrido na quinta-feira (20) em um local de difícil acesso.

Equipes dos bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram para o local desde que receberam o chamado de moradores que relataram terem visto a queda. Para reforçar as ações, a base contou com o uso de drone, um paramotor além do apoio do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) e Grupamento Especial de Fronteira (Gefron). “Encerramos, fizemos tudo que era possível.

Empregamos material e pessoal necessário, utilizamos as técnicas de varredura em selva, fizemos um percurso na mata de aproximadamente oito quilômetros de raio do local indicado, mas nada foi achado, nem vestígios de que realmente tenha acontecido esse acidente”, confirmou o major Cláudio Falcão, da assessoria do Corpo de Bombeiros. Após suposta queda de avião no interior do AC, polícia e drone reforçaram ações em comunidade Luízio Oliveira/Rede Amazônica Sem destroços Falcão confirmou que foi achado um local com árvores derrubadas e uma espécie de clareira no meio da mata.

Porém, não havia destroços de aeronave e acredita-se que as árvores tenham caído há dias, não recentemente. “Nossa equipe pernoitou no local para ganhar tempo, foi feito tudo que podíamos fazer.

No local indicado, se realmente tivesse acontecido, a gente tinha encontrado.

A gente checou essa informação, pegamos as coordenadas com o Gefron, fizemos o mapeamento pelo GPS do local, e chegamos lá.

Fomos por eliminação”, avaliou. A equipe de resgate retornou no final da tarde deste sábado para Rio Branco.

O major acrescentou que o chamado dos moradores não foi interpretado como trote, mas como um possível engano da comunidade. “De repente, uma aeronave passou muito baixo no local com os barulhos que indicaram, mas não houve a queda em si.

A gente não se baseia também pela torre de controle, porque sabemos que têm muito voos clandestinos na nossa região.

Só descartamos as possibilidades", concluiu. Equipes fizeram buscas em região de difícil acesso, mas não acharam destroços de avião Divulgação/Gefron 'Tenho certeza que caiu' A equipe da Rede Amazônica percorreu pelo menos 18 quilômetros de ramal até onde as equipes do Samu e Bombeiros montaram uma base, ainda na tarde de quinta [20], e conversou com o produtor rural Antônio Oliveira que disse ter visto duas aeronaves. "Estava sentado, descansando um pouco e vinha voando normal e começou um barulho feio e acabou pertinho de mim, não sei porque não achamos.

Não vi [cair] porque é só mata, mas tenho certeza que caiu", disse. As buscas pela suposta aeronave continuaram depois do relato e o morador sustentou que viu.

"Tenho certeza que era.

Se não foi um avião, era outra coisa, um aparelho que caiu.

Não ia dizer que vi uma coisa sem ter visto", acrescentou. Do local onde as equipes montaram a base até onde o morador disse ter ouvido o barulho da queda do avião são pelo menos 50 minutos de caminhada dentro da área de mata. No final da tarde do primeiro dia de buscas, o Gefron chegou ao local para dar apoio e garantir a segurança na região, já que a suspeita é de que a possível aeronave seja clandestina, pois não tinha registro na agência nacional de aviação e nem de sobrevoo da aeronave na região.

Categoria:Acre